Alimentação incorreta, estresse e ansiedade podem ocasionar crises de labirintite.

Nos acompanhe em tempo real:
Compartilhe nas redes sociais:
20/03/2017 17h04
0 Comentários

Vertigem (tontura rotatória), náusea, vômitos, zumbido e alteração na audição, são alguns dos sintomas que podem afetar o dia-dia de pessoas com labirintite.

 

Segundo a sociedade brasileira de Otologia (SOB) cerca de 30% dos brasileiros sofrem com labirintite. A doença se manifesta principalmente em pessoas entre 40 a 60 anos. Crianças e adolescentes podem ter labirinte, porém é mais raro.

 

O otorrinolaringologista, Hugo Rodrigues, explica que a labirintite é uma doença caracterizada por inflamação ou infecção do labirinto, que é uma estrutura do ouvido interno, responsável pelo equilíbrio do nosso corpo.

 

“Avaliar o equilíbrio, a coordenação motora, a audição do paciente, bem como a realização de exames clínicos são primordiais para o diagnóstico da labirintite”, pontua o otorrinolaringologista.

 

Um dos momentos mais delicados para uma pessoa que tem labirintite são as crises de vertigem. O especialista alerta que no momento da crise manter os olhos abertos e olhar para um ponto fixo pode ajudar a encurtar a crise. É fundamental procurar o médico o mais rápido possível.

 

O tratamento é feito de acordo com cada paciente e se a labirintite é crônica ou se apresenta em crises, e os resultados podem atingir a cura ou o controle da doença em mais de 90% dos casos. “o tratamento pode ser exercícios de reabilitação do equilíbrio corporal, uso de medicamentos e procedimentos cirúrgicos (em casos isolados)”, explica.

 

Alimentos em excesso como o café (incluindo outros alimentos e bebidas que possuem cafeína), o sal e o açúcar podem ser responsáveis por crises de labirintite, além de serem inimigos do ouvido interno.

 

Estresse e ansiedade podem ocasionar crises de labirintite. “Muitos pacientes que apresentam crise de labirintite estão enfrentando momentos de estresse, ansiedade e privação do sono. Por isso é importante uma mudança no estilo de vida. Ter controle do estresse e exercício físico são fundamentais”, disse.

 

Segundo o otorrinolaringologista, Hugo Rodrigues, a falta de uma alimentação balanceada e o consumo em excesso de alguns alimentos ampliam a chance de uma crise de labirintite. “Essa doença se não tratada de forma correta pode prejudicar a qualidade de vida de uma pessoa, além de acarretar outras doenças”, finaliza.

Texto:
Gostou?
  • (0)
  • (0)
Compartilhe:

0 Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
Caracteres restantes: 700
 
  • Nenhum comentário publicado.
REVISTA HELLO
Cadastre o seu e-mail e receba as novidades do site.